Sócia Atleta: Conheça Pri Back, atleta do Grêmio

 Sócia Atleta: Conheça Pri Back, atleta do Grêmio

Foto: Everton Silveira

Destaque das Gurias Gremistas, Priscila Back é natural de Medianeira, interior do Paraná! A meia ofensiva que está na sua terceira temporada defendendo a camisa do Grêmio e acumula experiência na carreira, relembra sua trajetória no Futebol Feminino. Confira o bate papo:

Turbilhão Feminino – Como começou sua história com o futebol?
Pri Back – O primeiro lugar que coloquei uma chuteira foi quando estava no Cascavel. Fui lá para jogar futsal, aí decidiram formar um time de campo, a gente treinava 2 ou 3 vezes na semana, eu morava em Céu Azul, que fica a 45 minutos de Cascavel. Pegava ônibus cedo e ia, as vezes eu voltava para casa, as vezes ficava na casa das gurias. Foi no Cascavel que vi pela primeira vez grandes jogadoras, foi quando fomos fazer um amistoso contra o Santos. Na época de 2010, se não me engano, o time do Santos só tinha craque. Tomamos uma chuva de gols (kkkk), mas valeu muito a pena. Eu era apenas uma menina que sonhava em estar no meio delas, também fizemos um amistoso contra o Foz Cataratas, na época também tinha um grande time, tomamos mais uma chuva de gols (kkkk), mas, também valeu a pena, lembro que tirei foto com a Érica, que já admirava muito. Mas, o time não foi para frente, pensei até que nem ia mais jogar, fiquei na minha cidade só jogando futsal. Um certo dia minha mãe chegou falando que tinha conseguido um time para fazer teste, o América de São Manuel, interior de São Paulo. Fui para lá, sozinha, um pouco nervosa, não conhecia ninguém. Fiquei uma semana em teste, Graças a Deus passei e não voltei mais para casa, minha mãe teve que levar minhas coisas para lá e foi a partir daí que minha história começou e pude chegar onde estou hoje.

TF – Qual o momento mais marcante da sua carreira como jogadora de futebol?
PB – Para mim todo jogo é marcante, toda viagem tem uma história! O futebol já me proporcionou muitas coisas, já tive a oportunidade de conhecer vários lugares, sem contar as pessoas que o futebol me apresentou. Mas, vou citar um gol que eu fiz quando estava jogando no Foz Cataratas: estávamos empatando com a Ferroviária, começamos perdendo, era a 2ª fase do Brasileirão, a gente precisava ganhar, e aos 43’ do segundo tempo, eu fiz o gol da vitória, minha família estava lá assistindo.

TF – Em relação a formação de base: o que você acredita que precisa melhorar mais para que as meninas cheguem mais preparadas no profissional?
PB – Vou ser bem sincera: na minha opinião, a base está pegando a melhor fase do futebol feminino, só não vai agarrar essa oportunidade quem não quer. Agora só depende delas, quem for profissional desde já, quem for atleta de verdade, quem se dedicar mais vai longe.

TF – Como analisa sua última temporada e quais os objetivos pessoais para a temporada atual?
PB – Ano passado graças a Deus fiz uma boa temporada, pude ajudar a equipe com a classificação. Esse ano não é diferente, o objetivo é sempre melhorar, eu me cobro muito, sempre fui assim. Então quero estar sempre bem, sempre pronta para poder ajudar o Grêmio da melhor forma possível.

Foto: Andrielli Zambonin

TF – Qual a expectativa e como tem sido a Preparação para o os duelos do Brasileirão esse ano?
PB – A Expectativa desde o começo do campeonato é de se classificar bem para a próxima fase. Cada jogo está sendo uma final, sabemos que qualquer ponto perdido pode fazer falta na classificação, nos preparamos muito bem na pré temporada, e agora seguimos no mesmo foco.

TF – Quais são suas maiores ícones e referências dentro do esporte?
PB – Sempre gostei muito do Cristiano Ronaldo, ele é um exemplo, e gosto muito do Maicon do Grêmio, sempre observo ele nos jogos, “Joga Muito”.

TF – Como você enxerga o crescimento do futebol feminino no Brasil hoje?
PB – O futebol feminino é uma modalidade que está ganhando cada vez mais espaço no Brasil e no mundo. É claro que tem muito a melhorar, mas está crescendo ao poucos, Aline Pellegrino vem fazendo um belo trabalho com o futebol feminino. Ano que vem vai voltar a Copa do Brasil, vai ter A3, então isso mostra o crescimento da modalidade.

TF – Qual a mensagem que você deixa para as meninas que sonham atuar no futebol feminino?
PB – Coloquem sempre na cabeça que vocês conseguem, se espelhem nos grandes exemplos e trilhem o caminho que o seu sonho mandar, com dedicação tudo é possível, driblem todos os preconceitos. É tentando que o sucesso acontece. Então nunca desistam dos seus sonhos, nunca desistam de fazer o que vocês amam, por mais difícil que seja.

Desejamos a fera Pri Back sucesso na sua caminhada! Que todos os seus sonhos e objetivos se realizem. Aproveitamos para agradecer a disponibilidade, carinho e respeito com o nosso projeto.

Edição: Fernanda Barros / Fidel Costa – @turbilhãofeminino
Assessoria: WP Assessoria – @wp_assessoria
Gestão: MS Soccer / @ms.socceroficial 

Fernanda Barros