Sócia Atleta: Conheça Quezia Proença, atleta do Ouriense de Portugal

 Sócia Atleta: Conheça Quezia Proença, atleta do Ouriense de Portugal

Foto: Nuno Abreu

Brasileira, natural de Santa Cecília do Pavão (PR), Quezia Proença é Goleira do Atlético Ouriense de Portugal. Jovem, a arqueira de 23 anos bateu um papo super especial com a gente. Confira:

Turbilhão Feminino – Onde e como começou sua relação com o esporte?
Quezia Proença –
Meu pai sempre gostou de futebol e ele jogava bola comigo no quintal de casa. Em 2011 ele me botou em uma escolinha de futebol chamada Renata Costa e daí começou minha caminhada no futebol.

TF – Qual a diferença do futebol europeu, mais especificamente o português, para o brasileiro?
QP – O futebol português é de mais contato, um jogo muito forte e de divididas. No Brasil é um jogo mais trabalhado com mais toques de bola e mesmo sendo goleira, tive que me adaptar mais rapidamente.

TF – Como você analisa a evolução técnica do futebol feminino de modo geral?
QP – O futebol feminino vem ganhando mais visibilidade e com isso mais atletas de base vem sendo formadas com uma técnica maior. Quando as atletas chegam no profissional, já estão prontas, por exemplo hoje em dia vemos atletas de 17, 18 anos batendo de frente com atletas de 25, 26 anos.

TF – Conta sobre sua experiência no SGC Dragons.
QP – O SGC foi uma experiência única para mim, foi um campeonato que joguei em Trinidad e Tobago e acabamos ficando com o terceiro lugar. A experiência foi única porque o gestor de esportes do país trouxe atletas do mundo todo, as jogadoras da Seleção de Trinidad e Tobago também se juntaram ao Campeonato, tudo isso porque a seleção iria disputar uma vaga para as Olimpíadas.

Foto: Nuno Abreu

TF – O que te inspira a jogar e a seguir nessa profissão?
QP –
O amor ao futebol. Eu amo o que faço e creio que quem não ama o que faz não tem vontade de trabalhar e seguir na vida profissional, independente do trabalho que você faça ou do que produza.

TF – Qual o seu maior sonho dentro do futebol?
QP –
Voltar à Seleção, disputar Olimpíadas, um mundial pelo Brasil e claro ser campeã. Isso para mim seria meu maior sonho dentro do futebol.

TF – O futebol feminino é uma realidade. O que você diria para as meninas que estão iniciando?
QP –
O futebol feminino está se tornando uma realidade e um recado para as meninas que estão começando agora é que continuem brigando pelo futebol feminino porque ele só está assim hoje porque várias atletas brigaram por ele. O futebol feminino tem muito a crescer, então trabalhe duro e principalmente não ligue para os preconceitos.

Desejamos a atleta Quezia Proença sucesso na sua caminhada, que todos os seus sonhos e objetivos se realizem. Aproveitamos a oportunidade para agradecer a atleta pela disponibilidade com nosso projeto.

Edição: Fernanda Barros / Fidel Costa – @turbilhaofeminino

Fernanda Barros