Centro Olímpico: o celeiro de craques que fortalece o futebol feminino brasileiro

 Centro Olímpico: o celeiro de craques que fortalece o futebol feminino brasileiro

Reprodução/ Centro Olímpico

O que muitas jogadoras entrevistadas pelo Turbilhão Feminino têm em comum? Fácil responder: passagem pelo Centro Olímpico! Instituição esportiva conhecida por desenvolver atletas de diversas modalidades, a Associação Desportiva Centro Olímpico, que possui vínculo com a Secretaria de Esportes, Lazer e Recreação da Prefeitura da Cidade de São Paulo, é um braço do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa e coleciona feitos notáveis no cenário esportivo. Além de possuir convênio com instituições de ensino, associações da área da saúde e até mesmo com a CBDN (Confederação Brasileira de Desportos na Neve), a agremiação esportiva tem o objetivo de fomentar, promover e desenvolver o esporte, dentre eles, o futebol feminino.

Referência de gestão no esporte, o Centro Olímpico possui diversas conquistas no futebol feminino de base como, por exemplo, o título sul-americano SUB-14 em 2019, fato que comprova o status de protagonismo da equipe nacionalmente e internacionalmente. O projeto esportivo extremamente vencedor também abarca um papel social importante na promoção da diversidade e igualdade, pregando sempre o “respeito às diferenças”, sendo essa uma premissa básica acerca dos valores pré-estabelecidos na sua governança. Cientes do importante papel do esporte na formação cidadã, a Associação Desportiva Centro Olímpico enfatiza sobre sua “responsabilidade econômica, social e cultural” no sentido de proporcionar o equilíbrio entre as três dimensões apresentadas, bem como garantir o pleno desenvolvimento sustentável.

Divulgação/ Conmebol

Embora exista um claro crescimento no futebol feminino, que pela primeira vez na história terá um patrocinador oficial no Campeonato Brasileiro, infelizmente, ainda há uma carência no apoio e incentivo à base. Amparadas pela obrigatoriedade dos clubes profissionais na montagem de equipes na modalidade feminina e diante do maior apelo graças a última Copa do Mundo, nossas atletas passaram a desfrutar de perspectivas mais amplas, contudo, ficou um hiato desde os anos iniciais até a profissionalização, sendo o Centro Olímpico uma exceção perante uma realidade que vem se modificando de forma aparentemente mais lenta que o ideal. Mensalmente são realizadas peneiras com atletas nascidas entre 2004 e 2010 (informações no site).

O fruto desse trabalho de enorme compromisso com o esporte se traduz em diversas conquistas, porém, nada é mais notório que a grande quantidade de jogadoras reveladas pela associação, tais como: Vivi Holzel, Ary Borges e Ottilia (Palmeiras), Alline Calandrini (ex-atleta), Yaya (São Paulo) e muitas outras. Em 2013 a artilheira da seleção Cristiane, atualmente no Santos, fez parte da equipe adulta Campeã Brasileira desta instituição que, constantemente, cede suas jogadoras para as seleções de base. Sendo assim, podemos afirmar que o Centro Olímpico fortalece o futebol feminino brasileiro de maneira única e na Edição Especial da semana, além da importância do projeto esportivo em si, vamos abordar um pouco sobre algumas conquistas desse time de campeãs que se consolida cada vez mais no esporte. Trata-se, sem dúvidas, da “equipe de base mais vitoriosa do futebol feminino brasileiro”, como bem se descreve nas redes sociais.

Edição: André Chagas@turbilhaofeminino

André Chagas

https://twitter.com/andreelchagas

Carioca, profissional de marketing, jornalismo esportivo e locutor. Gerente de Conteúdo no TFF, idealizador do projeto Raça & Futebol, professor de geografia e um grande entusiasta do esporte.